Grande e o homem que admite seus erros e pede perdão! - Daniel Godri Jr.

Phubbing

16 de Agosto de 2013
Na comunidade atual temos e fazemos mais e mais amigos reais e virtuais. As redes sociais facilitaram muito a comunicação, principalmente para os mais tímidos. Mas algumas pessoas entraram tão a fundo no mundo virtual que não conseguem sair dele por muito tempo. 

Phubbing

Lembra daquele amigo que você quase nunca vê, e de repente os dois se encontram na mesa de um restaurante ou um bar, ou até mesmo na festa da antiga classe da faculdade e, no momento correto para relembrar os velhos tempos, tudo o que se ouve na mesa são os comentários à respeito de uma postagem no facebook ou no instagram? A comida está boa, a bebida bem servida, mas o mais interessante à mesa é o smartphone de cada um? E o que mais chama a atenção: todos estão calados, de olho em suas atualizações constantes nas redes.

Agora existe um nome para este comportamento pouco adequado à vida real e à comunicação direta. É o Phubbing!

Em uma mesa de amigos, todos com idéias fluindo sem parar, e apenas um dos integrantes conversando em um chat ou simplesmente observando atualizações. Você direciona o olhar para ele e ele nem liga. Fala com ele e recebe apenas "hum-hum"s como resposta. Você é praticamente esnobado. E é daí que vem esse nome: Phubbing. Uma mistura de "phone" (telefone) e "snubbing" (esnobar).

O nome foi dado pelo australiano Alex Haight e virou base da campanha Stop Phubbing, que tem o objetivo de tentar resgatar o relacionamento pessoas sociável das pessoas. Considerado uma praga pelos participantes da campanha, o phubbing já poderia ter dizimado 6 chinas inteiras, isso mesmo, 1,3 bilhão de pessoas vezes 6. A chance de você ser um phubbing são grandes, afinal, são mais de 70 milhões de smartphones no Brasil.

E é sempre do mesmo jeito. Quando você menos espera, ou para pra olhar ao redor, todos estão de olho no celular. Já até conhecemos os motivos: "Só vou olhar se tem mensagem no Face", "Só quero postar essa foto nossa no Instagram", "Só estou respondendo uma mensagem no Whatsapp”, ou até mesmo "Só quero ver se alguém curtiu meu link". 

O incômodo causado por esta mania é tão grande que uma cervejaria já acoplou aos seus porta-garrafas (as famosas camisinhas) um bloqueador de sinal de celular que deve começar a ser distribuído ainda este mês. O bloqueio utiliza a mesma tecnologia de presídios, e tem espectro de funcionamento de 1,5 metro, não atrapalhando outras mesas.

Pelo que parece, as pessoas estão desaprendendo a lidar com outras pessoas ao vivo. É bem mais fácil, e menos constrangedor, ser popular online do que offline. 

E aí? Quantos "phubbers" você conhece?




Este post ainda não possui comentários. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será exibido.
Receba as Novidades

Para receber as últimas novidades e promoções do site, digite seu e-mail e clique em enviar.

Arquivo do Blog